Culinária - Gastronomia - Vinhos - Caça - Tauromaquia -

Pesquisar neste blogue

terça-feira, 25 de novembro de 2014

A ARTE POPULAR EM PORTUGAL

Fernando de Castro Pires de Lima – A Arte Popular em Portugal 
 [3 - Volumes Completos] – Editorial Verbo – Lisboa -1963. 
 410-III/422-I/426-III págs / 31 cm x 24 cm /  Encardernaçao de Origem (Muito Procurado)

EDIÇÃO ESPECIAL 
DESTE PRIMEIRO VOLUME DE A ARTE POPULAR EM PORTUGAL FEZ-SE UMA TIRAGEM ESPECIAL DE CENTO E CINQUENTA EXEMPLARES, NUMERADOS E ASSINADOS PELO DIRECTOR 
EXEMPLAR Nº 45
Uma Obra Luxuosa e Monumental

Obs.:Orientação gráfica pelo arqº Fernando Lanhas e direcção de Fernando Galhano, Dr. J. A. Pinto Ferreira, Dr. Luis de Pina. Textos de Dr. António Cruz, Dr. Ernesto Veiga de Oliveira, Dr. Eugénio Andrea Cunha E. Freitas, Dr. Fernando Castelo Branco, Dr. Fernando de Castro Pires de Lima.
Ilustrado. Trata-se da obra de maior importância sobre o Arte Popular Portuguesa alguma vez publicado entre nós. Abarca diversos capítulos desde a casa popular em Portugal; ourivesaria; arte do papel; cestaria e esteiraria; culinária e doçaria; medicina e superstição; escultura; pintura; cerâmica; literatura de cordel; teatro; música e dança; tapeçarias e bordados; rendaria; trajo; brinquedos; etc...

 Fernando de Castro Pires de Lima (Porto, 10 de Junho de 1908 – Porto, 3 de Janeiro de 1973) foi um médico, professor, escritor e etnógrafo português Licenciou-se no curso de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Desempenhou as funções de assistente e director da Enfermaria no Hospital Geral de Santo António, foi professor de Higiene no Conservatório de Música no Porto e director da Biblioteca Popular e do Arquivo de Medicina Popular. Presidiu, ainda, ao Instituto de Etnografia e foi director do Museu de Etnografia e História do Porto na qualidade de etnógrafo. Participou, ainda, em várias publicações científicas e periódicas nacionais e estrangeiras destacando-se a “Revista de Guimarães”, a “Revista Lusitana” e a “Revista de Tradiciones Y Dialectologia” (Madrid). Foi também membro de associações científicas e culturais nacionais e estrangeiras como a Associação dos Arqueólogos do Instituto de Coimbra, a Sociedade de Antropologia e Etnologia do Porto, o Instituto de História e Etnografia de Lisboa, o Instituto de Antropologia de Paris, a Sociedade de Folclore do Brasil, a Federação das Academias de Letras do Brasil, a Associação de Escritores Médicos de Madrid, a Real Academia Gallega, o Seminário de Estúdios Gallegos, a Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, a Academia das Ciências, entre outros. Foi Cavaleiro da Ordem da Instrução Pública a 26 de Junho de 1940.












Bom Estado
Preço/Price: Sob consulta..

Sem comentários:

Enviar um comentário